Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Bacon

Você me pede outra história baseada em fatos reais. Dou de ombros e finjo não reparar no sorriso encabulado que me escapa pelas beiradas do rosto. Nem bem chegastes, e querendo tudo, revira as gavetas, rabisca as paredes, me toma o lençol, rasga o silêncio, faz-se dono. E eu que pensava ser todo meu. - O que você quer? - Brócolis com bacon. Gira os braços, aperta os lábios, e enquanto finge não me ver, aumenta o rádio, acompanha os desenhos que o som rabisca na brisa fria de abril, e acende o farol. A rua ao redor acompanha os movimentos dos nossos dedos, como marionetes enfeitadas, bonecos de ventríloquo. Movimentos randômicos nos dão um quê excêntrico. Você esboça uma tentativa tosca e preguiçosa de evadir-se. Te seguro pelas mangas, arranho tua nuca, suspiro quase em oração.
- Fica!
- Que?
- Quero que você fique. - Por que? - Porque sim.
- Porque sim, não é resposta. - Não posso. - Por que? - Porque não. - Porque não, não é resposta.
As horas se calam e caminham sem que estejamos presen…

Balada do Amor de um Homem Só

Ensaiei infinitas formas de calar o silêncio que se implantou entre nós desde o segundo suspiro, o último. Não é de se estranhar que talvez estranhes meu estranhamento, nós estamos exatamente onde deveríamos, disse em voz alta sem nenhuma noção de tempo, lugar e espaço. Me vi desdobrado em versos, prosas e poesias, numa sinfonia de ruídos inocentes, sinto que deveria desenhar minhas unhas no quadro negro, ao menos uma última vez. E antes de te ver partir, me dilacerar a ponto de escancarar até o último centímetro de alma. Não fui capaz. Das últimas horas você foi meu melhor e meu pior. Eu fui teu céu e teu inferno. Hoje não passamos de retratos recortados de um passado, desde sempre, sem futuro. Atravessamos a rua na tentativa vã de esconder o que foi deixado pra trás. Dizem que nesta vida somos capazes de amar até duas vezes, você foi meu último tiro, o mais alto. Me esforço pra não esquecer tua voz, teu sorriso, tuas manias. Teus pontos e vírgulas e exclamações. Teus olhos cheios d…